O ato da população em situação de rua em São José transferido para quarta 24/08/16

O ato da população em situação de rua em São José não aconteceu semana passada por conta da chuva, mas foi transferido para essa quarta-feira, 11h, saída em frente ao Centro Pop – São José.

Todo apoio e presença de pessoas, movimentos e entidades é importante para dar força às reivindicações por abrigo, oportunidade de trabalho, fim da violência policial e institucional, etc.

O ato também é memória pelo Massacre da Praça da Sé, onde moradores de rua foram mortos por grupos de extermínio em SP.

OCUPA Lagoa: Roda de Conversa sobre Hortas Urbanas e Dança com Em Cada Passo um Traço (07/08)

13902609_666763406817134_4069423471630082871_n

Quando? Domingo 07/08 às 15h.

Onde? Praça Bento Silveira, Lagoa da Conceição.

Navegantes e passageiros da Ocupa Lagoa! Domingo tem mais um encontrinho pra darmos nosso grito de FORA TEMER e papear sobre os assuntos que nos interessam e preocupam.

O evento tem início às 15h com uma reunião aberta do coletivo. A ideia é debater nossos próximos passos e o destino do movimento em si. Todos são bem-vindos, quem tem participado dos encontros e os novos que queiram conhecer a Ocupa.

Em seguida, por volta das 15:40h iniciaremos a roda de conversa sobre hortas urbanas com quem entende do assunto e já botou a mão na massa. A ideia é pensar a viabilidade de uma horta comunitária na Lagoa.

Ao final do papo, teremos uma roda de dança com Em cada passo um traço:
https://www.facebook.com/profile.php?id=1470209599966368&fref=ts

Vem pra Ocupa!!!

Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/1031560526939940/?notif_t=plan_user_invited&notif_id=1470222764879518

Manifestação: Todos juntos! SC401 um caso de descaso! – 29/07 19h

Concentração: Sexta às 19:00 na pista de Skate Trinda Times (ao lado do Iguatemi)

Fonte: https://www.facebook.com/events/1764163337164131/

Chamada aos ciclistas, pedestres, usuários de transporte coletivo e motoristas que trafegam pela SC-401, aos que moram e/ou trabalham no norte da Ilha, aos estão cansados da violência que assola os que por essa rodovia passam e querem mobilidade urbana segura e eficaz!

VENHAM PARTICIPAR DESSE ATO PEDINDO RESPEITO À VIDA E NÃO À VIOLÊNCIA NO TRÂNSITO!
Haverá concentração ciclistas na Pista de Skate a partir das 19h, que partirão em direção ao elevado de João Paulo.

JÁ FORAM ACUMULADOS 7 MORTES POR ACIDENTE, SENDO 6 ATROPELAMENTOS, NESTE INÍCIO DE ANO NA SC-401!

Há muito tempo o uso ao longo da SC-401 não condiz com a sua configuração. Tem comércio, tem pedestre, tem cadeirante, tem ciclista, inúmeras entradas para os bairros e o comércio. Mas não tem calçada, ciclovia, FISCALIZAÇÃO, acostamento ruim ou inexistente, poucas passarelas, velocidade permitida altíssima. http://g1.globo.com/sc/santa-catarina/jornal-do-almoco/videos/t/edicoes/v/projeto-de-reestruturacao-da-sc-401-preve-beneficiar-pedestres-e-ciclistas/4781309/

No dia 29 de janeiro deste ano, ciclistas uniram-se para protestar por mais segurança na rodovia, promovendo um ato pacífico, com o intuito de gerar melhorias. https://www.youtube.com/watch?v=DLslL7K0-4k&feature=youtu.be http://g1.globo.com/sc/santa-catarina/jornal-do-almoco/videos/t/edicoes/v/apos-mortes-por-imprudencia-de-motoristas-ciclistas-fecham-a-sc-401-em-protesto/4774772/ http://m.ndonline.com.br/florianopolis/noticias/297705-protesto-reune-500-na-sc-401-por-mais-ciclovias-e-fim-das-mortes-de-ciclistas-em-florianopolis.html http://www.professorlinoperes.com.br/pagina/482/ciclistas-se-organizam-e-protestam-contra http://desacato.info/protesto-exige-fim-das-mortes-de-ciclistas-e-bloqueia-sc-401/

Passados quase seis meses desde a realização do protesto, o saldo que se tem é o triste acúmulo de mais mortes por atropelamento na SC-401 e pela cidade. Nenhuma ação de melhoramento teve início. Após esse tempo decorrido, o que se tem é apenas o anúncio de aumento paliativo e temporário da fiscalização e de pequenas ações pontuais que não representam solução efetiva. http://g1.globo.com/sc/santa-catarina/jornal-do-almoco/videos/t/florianopolis/v/em-cinco-meses-sc-401-registra-sete-mortes-causadas-por-acidentes-5-foram-atropelamentos/5016163/

Vamos nos unir mais uma vez e em maior número para dizer BASTA DE DESCASO E VIOLÊNCIA! O QUE QUEREMOS:
(I) Aumento da fiscalização da Lei Seca, em especial aos finais de semana, e ações necessárias para o cumprimento deste objetivo;
(II) Redução das velocidades máximas permitidas, visando à futura implementação do projeto previsto pelo Plano de Mobilidade Urbana Sustentável da Grande Florianópolis (PLAMUS);
(III) Fiscalização contínua de velocidade na via, uma vez que grande parte dos veículos automotores superam a velocidade máxima da SC-401 quando da ausência de fiscalização.
(IV) Envio à ALESC de projeto de lei que modifique dispositivos da Lei Estadual Promulgada 12.142/2002, possibilitando enorme melhoria da fiscalização, com a utilização de radares fixos e lombadas eletrônicas;
(V) Apresentação URGENTE de projeto cicloviário para a rodovia, com plano de execução e cronograma definido.
(VI) Iluminação, sinalização vertical e horizontal e proteção dos trechos mais perigosos da SC-401,em especial os trechos que não possuem acostamento, e/ou onde estes são deficientes ou estão em desacordo com as normas.
(VII) Implantação de um sistema integrado de vigilância ao longo de toda a extensão da SC-401, incluindo a instalação de câmeras de monitoramento;
(VIII) Implantação de travessias seguras e acessíveis ao longo da SC-401 em todo lugar em que houver fluxo de pedestres;
(IX) Reformar e/ou construir o acostamento nos trechos em que estes se mostram precários, ausentes ou insuficientes, incluindo também a limpeza de detritos que neles se acumulam;
(X) criar uma comissão de diálogo permanente, contando com a presença de membros da sociedade civil, incluindo ciclistas, a fim de acompanhar a execução das medidas planejadas e das obras e ações projetadas.
(XI) incluir nas provas do Detran/SC para tirar ou renovar a carteira de habilitação, questões relativas ao trânsito de bicicletas previstas no CTB.”

Artesões da feira da Maricota impedidos de trabalhar no centro pela Prefeitura

Hoje no jornal do almoço vi a reportagem de que 300 artesãos de Florianópolis foram proibidos de trabalhar na Paulo Fontes, na tradicional feira da Maricota que acontece todos os sábados. A decisão é do Ministério Público (RBS não informou qual), que afirmou que os feirantes “atrapalham a mobilidade” no centro e o estacionamento de turistas, e foi acatada pela Prefeitura. Isso em plena crise econômica, que pra variar ferra com os mais humildes.

A solução seria levar os artesões para a João Pinto, em uma feira organizada pela CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas de Florianópolis). CDL que vem articulando o processo da “revitalização” do centro histórico com a Prefeitura e outros interessados.

Semana passada Prefeitura retirou os cobertores dos moradores de rua. Ano passado, a PM tentou acabar com a batalha do RAP, e tem muita gente de olho nos casarões históricos do centro. Um deles é o Instituto Arco-Íris Direitos Humanos, que promove diversas atividades culturais e apoia público LGBT, soropositivos e dependentes químicos. Fora a própria reforma do Mercado Público. bem criticada pelo caráter elitista.

O plano é cada vez mais claro: grandes institutos tecnológicos como o Sapiens Park, Prefeitura e entidades empresarias como a CDL querem se apropriar de vários casarões públicos e transformar o centro em um espaço gourmetizado-hipster-da-elite-branca, onde, claro, não estão incluídos capoeiristas, artesões, rappers, punks, moradores de rua e outras criaturas não desejadas no coração de Desterro por estes arquitetos da exclusão.

É preciso resistir. Não só de chopp artesanal a 12 reais o copo de 300 ml vive nossa cidade. Ela é muito maior e mais diversa do que pensam!

Como diria Nei Lisboa:

“Se me derem um pedaço de plutônio
Minha turma se encarrega de explodir
A pobreza das idéias dessa gente
Que comanda o shopping-center do país”

Próximas audiências públicas do plano diretor

CARTAZ - INSULAR (1)

 

Estão acontecendo as audiências públicas do plano diretor de Florianópolis. A Justiça Federal determinou em julho de 2015 que as audiências do Plano Diretor Participativo fossem refeitas e o Núcleo Gestor reconstituído.

Vamos se organizar para cobrar da prefeitura o cuidado que queremos com nossas comunidades!

Vejam abaixo as próximas audiências:

Audiência Pública do Distrito de Santo Antônio de Lisboa:
Data: 28 de junho de 2016
Local: Igreja Nossa Senhora das Necessidades – Salão Paroquial
Horário: Das 19h às 22h

Audiência Pública do Distrito de Ribeirão da Ilha:
Data: 29 de junho de 2016
Local: Conselho Comunitário Ribeirão da Ilha, Baldicero Filomeno, nº 7792 – Ribeirão da Ilha
Horário: Das 19h às 22h

Audiência Pública Sede Insular (abrange 17 bairros, entre eles Centro, Itacorubi e Trindade.)
Data: 30 de junho de 2016
Local: Auditório Garapuvu – UFSC – Trindade
Horário: Das 19h às 22h

Audiência Pública Geral
Data: 18 de julho de 2016
Local: Auditório Garapuvu – UFSC – Trindade
Horário: Das 19h às 22h

Audiência Pública Final: Etapa 1
Data: 1 de agosto de 2016
Local: Auditório Garapuvu – UFSC – Trindade
Horário: Das 19h às 22h

Audiência Pública Final: Etapa 2
Data: a definir
Local: a definir

Manifestação sobre a ponte da Barra da Lagoa/Fortaleza da Barra (24/06)

13528988_10154072188346066_6755790066613670611_n 13533257_10154072249961066_2756803981745758570_n 13501822_10154071863746066_3220362476637340238_n

Fotos de Jorge João de Sousa


Informações divulgadas pelos  organizadores:

O objetivo do ato é demonstrar a nossa indignação com o descaso do poder público em relação a nossa comunidade.

O projeto da obra da ponte não cumpre normas técnicas relacionadas a segurança e mobilidade, colocando em risco a vida da população que por ali circula. Entre outras coisas o projeto da ponte:

Não cumpre as próprias normas do DEINFRA;
É inseguro;
Não atende a mínima distância de visibilidade;
Não contempla a entrada da Fortaleza da Barra e arredores;
Teve liberação pra reforma e não para uma nova construção;
Não tem autorização do IPUF;
Coloca em risco o ecossistema da Lagoa da Conceição;
Não tem estudo de impacto sobre o futuro uso da Lagoa;
Do jeito que esta, beneficia poucos em detrimento de muitos.

II Encontro Municipal de Agricultura Urbana (25/06)

13413760_633806056783576_5259929257119592703_n

Local: Departamento de Arquitetura e Urbanismo UFSC
Data: 25 de junho – sábado
Horário: 08:00 às 18:00 hs

~~INSCRIÇÕES~~
[ http://goo.gl/forms/J6yLkcdGHSRc9RdS2 ]
PREENCHER O FORMULÁRIO ONLINE!

08:00 as 9:00 Credenciamento

09:00 as 11:00 Oficinas

1 – Uso correto de plantas medicinais: Ambientalista Alésio dos Passos Santos [sala 1]
2 – Minhocário: Gilberto/Floram
3 –Compostagem: Marquito/Cepagro e Revolução dos Baldinhos
4 – Adubo Verde/Leguminosas: Andre/Cepagro
5 – Produção de Mudas: Ícaro e Karina/Cepagro
6 – Aquaponia: Vera Lucia e Leonardo
7 – Mapeamento e QGIS: Júlia/LABURB/UFSC [sala 2]
8 – Canteiros e espiral de ervas: Letícia/Quintais de Floripa
9 – Zeladores Permaculturais: Gustavo/Quintais de Floripa, Marcelo /Neperma, Eduardo/Destino Certo, Cepagro e Çaracura[sala 3]

11:00 as 11:30 Cerimônia de abertura [UFSC, Prefeitura, CEPAGRO, Quintais de Floripa] [auditório]

11:30 as 13:00 Almoço

13:00 as 14:00 Grupos de Conversas – Carta de Florianópolis [sala 4]

14:00 as 15:15 Painel I – Processos de Certificação para Produção de base agroecologia e orgânica MAPA e Agricultor Anderson
Mediador: Graziela Del Monaco(UFSC) e Cepagro
15:15 as 15:30 Intervalo

15:30 as 17:00 Painel II – Espaços para Agricultura no Planejamento Urbano [sala]
Mediador: Marcos José de Abreu (Marquito) (Cepagro) e Soraya Nor (UFSC)

Plano Diretor contemplando a Agricultura Urbana – IPUF/FLORAM
IPTU Verde – Companhia Melhoramentos da Capital – COMCAP
Desenvolvimento comunitário a partir da Agricultura Urbana – Projeto de Horta Comunitária no Maciço do Morro da Cruz – Secretaria Municipal de Habitação e Saneamento Ambiental .

17:00 as 17:30 Apresentação da Rede de Agricultura Urbana

17:30 as 18:00 Elaboração da Carta, com formalização das intenções de Florianópolis

18:00 Confraternização e trocas de sementes e mudas

Comunidade do bairro saco grande discute o plano diretor (20/06)

Via Conselho dos Moradores do Saco Grande – Comosg

Na noite de ontem iniciamos a oficina do Plano Diretor na nossa região. Contamos com expressiva participação, e por isso agradecemos a todos, que sempre se fazem presentes nos momentos importantes para nossa comunidade!!! Atenção, não esqueçam que amanhã (22/06), no mesmo local, às 19 horas finalizaremos nossos trabalhos!!!! Até lá!!!

13445511_527246257461179_7950395030868270523_n 13507125_527246260794512_387096111841568579_n (1) 13466347_527246264127845_7778263039029774862_n (2)

Comunidade do Saco Grande protesta contra o descaso com a saúde (10/06)

A comunidade do bairro Saco Grande protestou contra o descaso com a saúde pública nesta sexta-feira, dia 10/06/16.

Juntos, moradores e trabalhadoras e trabalhadores do posto de saúde fecharam a rodovia Virgílio Várzea por alguns minutos. Eles empunhavam cartazes e gritavam palavras de ordem contra o prefeito César Souza Jr (PSD).

Nos panfletos entregues aos passantes os moradores denunciam os cortes de 38 milhões de reais na saúde pública impostos pela prefeitura municipal, afirmando que os cortes já causam consequências imediatas, se expressando na falta de materiais (odontológicos, de enfermagem, entre outros), na falta de medicamentos e prazos na realização de exames. Queixam-se também da proibição de contratação de profissionais da saúde até 31/12/16, da redução do número de vigilantes nos postos de saúde e ataques a direitos trabalhistas.

Os conselheiros municipais de saúde e diversas entidades envolvidas estão organizando uma manifestação em defesa do SUS (Sistema Único de Saúde) nas escadarias da prefeitura nesta terça, 14/06/16.

20160610_132738 20160610_132409 20160610_132253 20160610_131506 20160610_131400 20160610_131102

20160610_132418