Floripa de quem? Floripa para quem?

Replicação de: Blog do Cadu

No dia 21 de junho deste mês, o prefeito Cesar Junior acompanhou de perto a sessão em Porto Alegre do Tribunal Regional da 4° Região que tratava sobre a irregularidade dos “Beach Clubs” de Jurerê internacional em Florianópolis.

Famosos pela luxuosidade e frequentado por pessoas de alto poder aquisitivo, estrangeiros e celebridades, os 05 empreendimentos estão localizados em áreas que ocupam terreno da União e causam danos ao meio ambiente, já que estão em cima de restinga, dunas e mangue.

A terceira turma do TRF4 suspendeu as demolições que estavam programadas até o dia 30 de junho. O processo ainda não foi encerrado, contudo, a suspensão da decisão do Juiz Marcelo Krás Borges, relacionada à demolição dos imóveis irregulares é um ação planejada e que tem apoio de empresários e políticos locais.

Tal ação nos conta muito sobre a maneira como a elite local trabalha em conluio com seus representantes políticos para privilegiarem a meia dúzia.

Os pesos e as medidas nas demolições dos empreendimentos irregulares

Assombrosamente ranchos de pescadores e empreendimentos familiares são violentamente destruídos a partir da reintegração de posse, diferentemente dos grandes empreendimentos construídos ilegal e diariamente, o silêncio das autoridades é uma regra, quando não há o envolvimento direto nas ilegalidades, como no caso que foi investigado na operação Moeda Verde ainda na administração do ex-prefeito e atual senador Dário Berger.

Tanto o rancho de pescadores artesanais de Jurerê Tradicional, quanto o saudoso bar do Chico no Campeche, demolidos a partir da ação de reintegração de posse, são provas que quando o assunto é privilégio a corda sempre arrebenta no lado mais fraco.

bar do Chico.jpg

 O prefeito de uma nota só

 O atual prefeito demonstra ser sensível com a galera do andar de cima, apesar de ter concluído que é incapaz de concorrer à reeleição (ao que parece por não dar conta do recado) fez questão de comparecer na audiência do TRF4 com a nítida posição a favor dos fora da lei.

Sua atuação prova ser de uma nota só quando o assunto é especulação imobiliária, seja pela inoperância relacionada ao déficit habitacional que Florianópolis sofre e que acarreta na dificuldade dos trabalhadores ter acesso a moradia, seja por um Plano Diretor com viés autoritário e cheio de remendos para satisfazer uma parcela da população, ou ainda, quando o assunto é empreendimento de alto padrão que descaracteriza e destrói a possibilidade de uma cidade mais humana e sustentável, como foi a sua posição em relação a Ponta do Coral.

Em recente matéria no Jornal Folha de São Paulo, o prefeito foi entrevistado em Porto Alegre quando acompanhava a audiência, como era de se esperar, foi percebido pelos jornalistas em tom de festejos quando o resultado cancelava a demolição dos empreendimentos irregulares.

A mídia corporativa

Colunista político de um jornal de circulação estadual também festejou a decisão, buscando na retórica da preservação de emprego a justificativa da ilegalidade. Empregos sempre são importantes, contudo, lei é lei, seja para uns e para outros, e se os empreendimentos estivessem corretos a questão do emprego não estaria em risco, o que coloca novamente na responsabilidade dos que burlaram a lei tal problema social.

É claro que a preocupação da mídia corporativa não está sob a ótica daqueles que precisam do emprego, mas sim, dos que ganham lucros a partir de privilégios e da exploração do trabalho alheio, afinal, quem paga a publicidade dos jornais de circulação são aqueles do andar de cima.

 

 

Manifestação sobre a ponte da Barra da Lagoa/Fortaleza da Barra (24/06)

13528988_10154072188346066_6755790066613670611_n 13533257_10154072249961066_2756803981745758570_n 13501822_10154071863746066_3220362476637340238_n

Fotos de Jorge João de Sousa


Informações divulgadas pelos  organizadores:

O objetivo do ato é demonstrar a nossa indignação com o descaso do poder público em relação a nossa comunidade.

O projeto da obra da ponte não cumpre normas técnicas relacionadas a segurança e mobilidade, colocando em risco a vida da população que por ali circula. Entre outras coisas o projeto da ponte:

Não cumpre as próprias normas do DEINFRA;
É inseguro;
Não atende a mínima distância de visibilidade;
Não contempla a entrada da Fortaleza da Barra e arredores;
Teve liberação pra reforma e não para uma nova construção;
Não tem autorização do IPUF;
Coloca em risco o ecossistema da Lagoa da Conceição;
Não tem estudo de impacto sobre o futuro uso da Lagoa;
Do jeito que esta, beneficia poucos em detrimento de muitos.

Moradores do Canto da Lagoa protestam contra a interrupção das obras no posto de saúde do bairro (22/06)

13533364_646625138830961_511622946791010105_n

Replicado de Ocupa Lagoa

Moradores do Canto da Lagoa, no Leste da Ilha, em Florianópolis, protestaram na tarde desta quarta-feira (22) contra a interrupção das obras no posto de saúde do bairro. Cerca de 150 pessoas participaram, segundo a organização, e houve bloqueios no trânsito.

O protesto começou às 15h30 na Rua Laurindo Januário da Silveira, onde fica o posto. Conforme a organização, o trânsito era bloqueado nos dois sentidos por alguns minutos apenas, “para não ficar muito caótico”, disse o morador Alexandre Vieira, que participou do protesto.

“A reforma do nosso posto de saúde teve início em 25 de junho de 2015. O término seria em 25 de novembro de 2015. Hoje é dia 22 de junho, sete meses depois, e a obra continua inacabada. Parou em fevereiro”, afirmou Alexandre Vieira.

De acordo com a organização, o posto já foi saqueado e foram vistos usuários de drogas no local. Este é o segundo protesto dos moradores do Canto da Lagoa em relação ao posto de saúde. O primeiro ocorreu na tarde de sexta (17).

A Polícia Militar não tinha informações sobre o protesto até a publicação desta notícia.

O Site entrou em contato com a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Saúde, que informou que a obra está entre as que tiveram contratos suspensos pelo período de 120 dias, em razão de um contingenciamento. A secretaria afirmou que os moradores são orientados a procurar atendimento no posto de saúde da Lagoa.”

Fonte: Jornal Floripa
Foto: Alexandre Vieira

Investigação ou operação midiática?

espalhafato

 

Nunca acreditei em partidos políticos nem no sistema atual. Passei a votar porque acredito que, com todas as limitações possíveis, ainda faz alguma diferença na vida das pessoas.

Mas não consigo ficar feliz em ver policiais armados de fuzil na frente da sede de uma partido politico. Por pior que ele possa ser.

Todo esse armamento pra que? Alguém lá dentro ofereceria alguma resistência?

Faz tempo que no Brasil muita gente acredita no autoritarismo como salvação. Vivemos em tempos em que policiais, juízes e promotores são tratados como heróis. Já advogados, defensores de direitos humanos e investigados (sem que tenham sido declarados culpados) são tratados como bandidos. As operações são sempre espetaculares e parecem tiradas de alguma continuação de “Tropa de Elite”.

Sei que com os pobres sempre foi assim. As cadeias lotadas de gente que não foi ainda nem julgada é um sinal disso. As execuções e torturas da PM também.

Mas não acredito que levar o autoritarismo contra os “políticos safados” seja um caminho bacana. Ainda mais quando tudo é estranhamente seletivo. Tudo cheira muito mal.

Fontes:
http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2016/06/23/ex-ministro-paulo-bernardo-e-preso-pela-pf.htm

http://www.tijolaco.com.br/blog/espalhafato-2-policia-vira-instrumento-de-marketing-politico/

 

II Encontro Municipal de Agricultura Urbana (25/06)

13413760_633806056783576_5259929257119592703_n

Local: Departamento de Arquitetura e Urbanismo UFSC
Data: 25 de junho – sábado
Horário: 08:00 às 18:00 hs

~~INSCRIÇÕES~~
[ http://goo.gl/forms/J6yLkcdGHSRc9RdS2 ]
PREENCHER O FORMULÁRIO ONLINE!

08:00 as 9:00 Credenciamento

09:00 as 11:00 Oficinas

1 – Uso correto de plantas medicinais: Ambientalista Alésio dos Passos Santos [sala 1]
2 – Minhocário: Gilberto/Floram
3 –Compostagem: Marquito/Cepagro e Revolução dos Baldinhos
4 – Adubo Verde/Leguminosas: Andre/Cepagro
5 – Produção de Mudas: Ícaro e Karina/Cepagro
6 – Aquaponia: Vera Lucia e Leonardo
7 – Mapeamento e QGIS: Júlia/LABURB/UFSC [sala 2]
8 – Canteiros e espiral de ervas: Letícia/Quintais de Floripa
9 – Zeladores Permaculturais: Gustavo/Quintais de Floripa, Marcelo /Neperma, Eduardo/Destino Certo, Cepagro e Çaracura[sala 3]

11:00 as 11:30 Cerimônia de abertura [UFSC, Prefeitura, CEPAGRO, Quintais de Floripa] [auditório]

11:30 as 13:00 Almoço

13:00 as 14:00 Grupos de Conversas – Carta de Florianópolis [sala 4]

14:00 as 15:15 Painel I – Processos de Certificação para Produção de base agroecologia e orgânica MAPA e Agricultor Anderson
Mediador: Graziela Del Monaco(UFSC) e Cepagro
15:15 as 15:30 Intervalo

15:30 as 17:00 Painel II – Espaços para Agricultura no Planejamento Urbano [sala]
Mediador: Marcos José de Abreu (Marquito) (Cepagro) e Soraya Nor (UFSC)

Plano Diretor contemplando a Agricultura Urbana – IPUF/FLORAM
IPTU Verde – Companhia Melhoramentos da Capital – COMCAP
Desenvolvimento comunitário a partir da Agricultura Urbana – Projeto de Horta Comunitária no Maciço do Morro da Cruz – Secretaria Municipal de Habitação e Saneamento Ambiental .

17:00 as 17:30 Apresentação da Rede de Agricultura Urbana

17:30 as 18:00 Elaboração da Carta, com formalização das intenções de Florianópolis

18:00 Confraternização e trocas de sementes e mudas

De Dentro da Tempestade – Comunicado do EZLN (México)

Tradução: FARJ

Original: http://enlacezapatista.ezln.org.mx/2016/06/20/desde-la-tempestad/

Comunicado Conjunto do Congresso Nacional Indígena e o EZLN sobre o covarde ataque policial contra a Coordenação Nacional de Trabalhadores da Educação e a comunidade indígena de Nochixtlán, Oaxaca.

20 de junho de 2016

Ao Povo do México.
Aos povos do Mundo:

Diante do covarde ataque repressivo que sofreram os professores, professoras e a comunidade em Nochixtlán, Oaxaca, com o qual o Estdo Mexicano nos lembra que isso é uma guerra contra todos e todas, os povos, nações e tribos que integram o Congresso Nacional Indígena e o Exército Zapatista de Libertação Nacional dizemos aos educadores que não estão sozinhos, que sabemos a razão e a verdade estão do seu lado, que a dignidade coletiva com a qual fazem sua resistência é inquebrável e esse é a principal arma dos de baixo que somos.

Repudiamos a escalada repressiva com a qual pretendem impor em todo o país a reforma neoliberal capitalista a qual chamam “educadora”, principalmente nos estados de Oaxaca, Chiapas, Guerrero e Michoacán. Com ameaças, perseguições, golpes, prisões injustas e agora assassinatos querem dobrar a dignidade dos educadores em rebeldia.

Chamamos a nossos povos e à sociedade civil em geral para estar com os educadores que resistem em todos os momentos, para nos reconhecermos neles, pois a violência para retirada de direitos trabalhistas básicos com o propósito de privatizar a educação é um reflexo da violência com a qual estão destruindo os povos originários, os povos camponeses e urbanos.

Aqueles que se regojizam no poder decidiram que a educação, a saúde, os territórios indígenas e camponeses e, inclusive a paz e segurança, são uma mercadoria para quem pode pagar, que os direitos não são direitos, mas produtos e serviços que se queimam, jogam fora, destróem e negociam de acordo com o que diz o grande capital. E pretendem impor esta aberração de maneira sangrenta; assassinando e sumindo com noss@s companheir@s, enviando a prisões de segurança máxima noss@s porta-vozes, fazendo da tortura descarada a mercadologia governamental e, com ajuda dos meios de comunicação pagos, criminalizando o mais valioso da sociedade mexicana, aqueles que lutam, que não se rendem, que não se vendem e que não desistem.

Exigimos o cessar da repressão contra os educadores em luta e a libertação imediata e incondicional de TODOS os presos políticos.

Convidamos a todos os povos do campo e das cidades a estarem atentos e solidários com a luta dos educadores, a organizarmos de forma autônoma para estarmos informados e alertas diante desta tormenta que cai sobre todos e todas, sabendo que uma tormenta, além de tempestade e caos, também faz fértil a terra da onde nasce sempre um mundo novo.

Das montanhas, campos, vales, desfiladeiros e bairros dos povos, nações e tribos originárias de México.

¡Nunca mais um México Sem Nós!

Congresso Nacional Indígena.
Exército Zapatista de Libertação Nacional

XIII Feira da Mandioca de Imbituba – 24, 25 e 26 de junho

13516312_892009214259708_5632973721733267762_n

Nesse fim de semana (24, 25 e 26.6) vai acontecer a Feira da Mandioca, organizada pela comunidade tradicional dos Areais da Ribanceira.

Convidamos a todas e todos que venham prestigiar o evento e se inteirar do processo de luta e resistência dessa comunidade, que passa por um momento crucial e requer mais forças e apoio do que nunca!

Vamos juntas solidarizar com a Luta pela Terra nos Areais da Ribanceira!

Terra é de quem plantar!
A luta continua, porque a vitória é certa!

Chamado da Organização do Evento:

Realizar um evento como a Feira da Mandioca de Imbituba é sempre um desafio, principalmente para uma entidade como a ACORDI – Associação Comunitária Rural de Imbituba, que conta com poucos recursos. Mas, tem muita criatividade e força para resolver seus problemas. Neste sentido, a XIII Feira da Mandioca de Imbituba, vem recheada de informações, alegria e muita descontração.

Nesta edição, iremos promover discussões sobre aspectos que envolvem a reforma agrária e as comunidades tradicionais, como também trataremos de questões ligadas a reciclagem de nutrientes (compostagem de resíduos). Para isso, organizamos palestras e iremos exibir documentários.

Iniciaremos o evento com Missa Campal, em agradecimento a vida que se renova a cada semeadura e também aos 14 anos de existência da ACORDI. Durante o evento teremos fogueira, apresentações de grupos folclóricos, shows, brncadeiras e exposições de artesanatos. Além, da nossa gastronomia típica, temperada pelas mulheres da ACORDI, que poderá ser apreciada pelos participantes do evento.

Participe da Feira da Mandioca e ajude a transformar o mundo em que vivemos.

Endereço: Barracão da ACORDI – Associação Comunitária Rural de Imbituba, Rua Ailton Floriano, Areais da Ribanceira – Vila Esperança – Imbituba/SC

Comunidade do bairro saco grande discute o plano diretor (20/06)

Via Conselho dos Moradores do Saco Grande – Comosg

Na noite de ontem iniciamos a oficina do Plano Diretor na nossa região. Contamos com expressiva participação, e por isso agradecemos a todos, que sempre se fazem presentes nos momentos importantes para nossa comunidade!!! Atenção, não esqueçam que amanhã (22/06), no mesmo local, às 19 horas finalizaremos nossos trabalhos!!!! Até lá!!!

13445511_527246257461179_7950395030868270523_n 13507125_527246260794512_387096111841568579_n (1) 13466347_527246264127845_7778263039029774862_n (2)